sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

La Plata e despedidas

Hoje eu cheguei em La Plata. A viagem foi um pouco difícil, já que ficamos esperando algo como uma hora o onibus para vir para cá e no meio do caminho o bendito quebrou e tivemos que trocar. Ainda bem que o onibus no qual a gente veio era muito bom, com ar condicionado e tudo e a viagem foi tranquila. De Buenos Aires para cá sao só 57 quilometros, é muito perto. Chegamos e fomos recebidos pelos trainees da Aiesec La Plata. Todos brasileiros e muito simpáticos. Demos uma volta pela cidade que é um pouco pequena, fomos na igreja (ela parece com a catedral de Notre Dame), conhecemos um pouco da história da fundacao da cidade com o nosso guia Chukr e depois tomamos o melhor sorvete da cidade. Foi um pouco caro, mas valeu a pena. Hoje vamos sair para um barzinho e amanha vamos comer comida brasileira.
Só vai ser uma pena eu perder a despedida dos meus amigos que conheci nesse intercambio. Adorei conhecer todos, de verdade. As experiencias compartilhadas com voces foram incriveis e espero nao perder o contato com nenhum de voces tao cedo. Quero ver todo mundo na Conade!
Algumas pessoas eu ainda vou ver quando voltar, mas alguns eu acho que nao. Bom, fica o meu abraco e o desejo de que todos logrem exito em suas vidas.
:D

Último dia de trabalho na LBV

Hoje foi meu último dia de trabalho na LBV. Já sinto muitas saudades de todas. O pessoal de lá é muito bacana, todos foram muito atenciosos e valorizaram o nosso trabalho como voluntários. Já entregamos tudo hoje e foi genial. Fizemos um programa no excel para ajudar na tabulacao de dados de uma pesquisa sobre comunidades e famílias carentes de Buenos Aires. Ontem conhecemos uma dessas comunidades. Era um bairro com calcamento só nas ruas principais, esgoto ao céu aberto e muita gente vivendo em casas com só um comodo. Mesmo com aquela situacao toda, eram poucos os que reclamavam. As pessoas sempre estavam sorrindo, nos receberam muito bem e ficaram felizes em ajudar. A LBV já vai instalar um pólo nessa comunidade e com certeza o trabalho vai beneficiar muita gente.
Bom, voltando ao dia de hoje, ganhamos uma camisa com um desenho feito por criancas assistidas pela LBV em uma de suas creches. Acho que nunca vou usá-la com medo de que se estrague.
Hoje eu percebi a real importancia de um trabalho voluntario e, como pouco que fazemos, pode ajudar muito. Demos entrevistas para o site da ONG e em breve eles vao divulgar tudo.
Vou sentir saudades do Erival, da Simone e do Carlos que foram aqueles que nos acompanharam durante essa jornada. Agora vem meu CEED (vou trabalhar no escritorio da Aiesec daqui). Let`s rock

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

CocoSur

A minha primeira conferência da Aiesec foi genial! Eu não sabia que era tão incrível assim. Ficamos em um lugar muito bonito, às margens de uma lagoa de uma barragem. Ali tinha vários chalés e um lugar maior com ar condicionado onde eram as conferências. Nelas as maiores oportunidades que tínhamos era de trocar experiências de trabalhos entre os escritórios onde a gente trabalha. Sem contar as palestras sobre gestão de projetos e outras com a presença dos parceiros da Aiesec do Cone Sul. Foi tudo realmente muito proveitoso, estou saindo de lá com uma bagagem de aprendizado que eu não sei onde e como eu teria. Espero ter a chance de botar em prática no meu escritório, lá em Salvador. Aqui em Buenos Aires eu já vou passar algumas coisas para a VP OGX que não pôde estar presente porque está viajando. 
E as festas? Uma mais incrível do que a outra, também não é por nada não, mas como haviam mais de 20 brasileiros lá, não tinha festa que ficasse animada. 20 brasileiros porque havia não os trainees, mas porque há brasileiros na diretoria da Aiesec do Cone Sul, no OC (o pessoal que organiza o evento) e como facilitadores de sessão. 
E ainda tivemos ajuda de muitas músicas brasileiras para animar a todos. 
Outra coisa também muito importante foi o network. Conheci gente do Chile, da Colômbia, da Argentina e do Uruguay, fiz realmente bons amigos, já sinto saudades de todos. O pessoal que dormia no meu quarto me ensinou muita coisa de espanhol e demos muita risada juntos. É incrível como todo mundo está disposto a ensinar e a aprender, e é por isso que um aieseco é tão diferenciado. 
Mas nem tudo são flores. Duas coisas foram ruins lá: a distância entre os chalés e o auditório era muito grande e sempre caminhávamos sobre um sol forte; a outra é que não tínhamos internet ou telefone, por isso ficamos sem dar notícias para ninguém. 
Agora tenho uma semana de trabalho na LBV e já vou começar meu trabalho na Aiesec. Estou negociando ficar na casa de alguém do escritório da Aiesec aqui e acho que vai dar tudo certo. Tenho certeza de que novas boas experiências virão.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Punta e Montevideo

Esses últimos dias foram excelentes. Passei o domingo e a segunda em Punta del Este, uma cidade belíssima. A água da praia é gelada, como dessas que a gente bebe na geladeira. Lá tinha muita gente bonita, e quando eu digo muita eu nao estou exagerando. Como diria a Carol, eu me senti na casa da Barbie.
O hostel em que eu fiquei é legal e bem movimentado, é muita gente entrando e saindo e todo mundo mochilando. Nao sabia que o espírito aventureiro era tao forte. Vi gente de todo lugar: da Europa, do Chile, da Argentina e como sempre do Brasil.
Agora eu estou em Montevideo. Nao tem muita coisa para fazer nem para conhecer nao. Em uma tarde já conhecemos praticamente tudo: algumas praias e o centro histórico. A cor da àgua é escura, por causa do rio Paraná que deságua aqui perto. Amanha a gente sai daqui e vai para Palmar, quando comeca a conferencia da Aiesec. Vai ser muito bom lá, tenho certeza. Vamos encontrar com os outros trainees e com o pessoal da Aiesec daqui. Vai ser um bom momento de aprendizagem e de trocas de experiencias. Sem contar que eu vou conhecer gente da América toda. Vou escrever sempre que puder.

domingo, 16 de janeiro de 2011

Um dia em Punta Del Este

Olá a todos!
Cheguei hoje ao Uruguay com a Carol, a Yaz, o Gil, a Mayra e Gabriel Japa. A viagem foi bem longa. Saimos de Buenos Aires as 10 da noite em um ônibus que nos levou até Tigre (uma cidade da grande BsAs) e de lá pegamos um ferry. Ficamos umas 2 horas nele e chegamos a uma cidade do Uruguay, de lá mais um ônibus até Montevideo. Ao chegar na capital do Uruguay da rodoviária mesmo tomamos um ônibus atá Maldonado. Essa é uma cidade que está do lado de Punta del Este, mas ajuda o fato de aqui ser mais barato. Para se ter uma idéia estamos em um albergue que é a metade dos preco dos de Punta. E aqui é muito legal já que só tem gente mochilando, muitos brasileiros e argentinos. Nao acreditei que eu nunca fiz isso antes, é sensacional.
Hoje fomos a praia e tiramos várias fotos. Principalmente naquela famosa estátua de mao que tem aqui, depois eu posto algumas. Ficamos em uma barraca que tinha até caipirinha e muitos cariocas. Definitivamente o Brasil está em todos os lugares. Dancamos um pouco de samba e ficamos bastante cansados. E para cortar o nosso barato choveu ao já a noite, mas o tempo já abriu e eu acho que amanha o sol vem com tudo de novo. Para quem é economista como eu é interessante saber algumas coisas. O peso uruguayo é muito desvalorizado. Com 1 real se compra 11 pesos, com 1 dolar se compra 20 pesos e com 1 euro se compra 25 pesos. E tudo aqui é bem inflacionado. Uma oferta do big mac custa 156 pesos, algo como seus 14 reais. Assusta ver cifras com 3 dígitos, mas estamos fazendo o possível para nao sair da linha.
Por essas e outras se percee que a cidade é para rico mesmo. Aqui só se vê BMW, PORSHE, ALFA ROMEO na rua. Sem contar que só tem mansao e cada prédio muito luxuoso. A marina é muito grande e tem cada iate de deixar o queixo caído.
Vou tentar mandar notícias com mais frequencia essa semana, mas nao prometo nada.
E em breve eu posto fotos...

sábado, 15 de janeiro de 2011

Uruguay

Meu povo brasileiro!
É o seguinte. Amanhã eu chego no Uruguay. Vou para Punta Del Este e depois para Montevideo. Vou tentar manter contato com vc sempre que possível. Essa semana haverá uma conferência internacional da Aiesec que se chama CocoSur. Ficarei lá até domingo que vem.
:D

Um pouco do meu dia-a-dia

Intercâmbio não é só trabalho. É também cozinha. E onde nós vivemos aqui não tem cozinheira, ou seja, temos que nos virar. De manhã é até fácil, já que basta comer pão, leite e suco que já estão prontos e tudo bem. Durante a semana comemos nas ONGs o almoço que elas nos dão. E quando chega a noite ou o fim de semana? O que devemos fazer? Devemos cozinhar! E como não existe feijão aqui ou é um pouco caro só nos resta comer muita massa. Quase todo dia é macarrão, ou arroz ou batata. o mais interessante é um rapaz (o Fernando da FGV) que só bota a batata no microondas por uns cinco minutos e pronto. Eu como à noite meu macarrão com atum, geralmente cozinho também para o Marcos Paulo ou para a Jéssica ou para o Felipe Cearense. Hoje eu fiz um vídeo das minhas atividades na cozinha. O cardápio incluía arroz à brasileira com carne à argentina. Quem não cozinha lava, por isso eu estou aqui agora no meu blog... Ah, outra coisa. Quem lava roupa aqui também precisa passá-la o vídeo mostra um cara (o Gil de Salvador) planchando.


video

sábado, 8 de janeiro de 2011

Eventos de fim de ano na Argentina

Esse post está só uma semana atrasado, mas tudo bem. Só agora consegui as fotos que eu queria para por aqui.  Então, há alguns eventos aqui a na Argentina que acontecem no final do ano. Um deles é a corrida de São Silvestre (sim, como a nossa do Brasil!) que acontece na Avenida 9 de Julho. Essa avenida é a mais larga do mundo e é onde tem o Obelisco. Ela ficou fechada para a corrida.
E por falar em corrida, semana passada foi a largada do Rali Dakar. Esse rali deveria acontecer de Paris a Dakar, na África, mas por causa de ameças de bomba, nos últimos anos está acontecendo entre a Argentina e o Chile. Deu para ver alguns carros na rua antes da largada, mas o local estava fechado e eu não pude tirar as fotos que eu queria. Algumas pessoas daqui do Hostel foram ver a largada que durou a tarde inteira. Acho que começou as 12 da manhã e só terminou umas 19 horas, imaginem. Bom, mais fotos...

Um churrasco uruguaio

Comer todo mundo sabe que é uma de minhas predileções.
Se tiver carne então...
Pois então, outro dia fizemos um churrasco aqui no Hostel onde estou vivendo. O encarregado foi Enrique, um Uruguaio que é o gerente daqui. Ele assou uma carne de vaca e de porco. Durante o processo ele tempera a carne com um molho que também serve para temperar saladas que leva alho, por cima vai pimentão. Como estava gostoso! Teve também choripan (linguiça com pão), uma salada de alface e tomate, um molho feito de salsa, alho, sal e azeite (muito bom) e pão típico daqui de BsAs. O mais engraçado foi que o churrasco daqui é diferente do que tem no Brasil. Aqui se assa toda a carne ao mesmo tempo e depois serve-se a mesa para que todo mundo coma ao mesmo tempo. Não se come enquanto a carne está assando.Não é curioso?
A carne na grelha

Aqui se come sentado e todo mundo na mesa

Enrique, o churrasqueiro

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Mais um dia incrível na minha vida

Meu intercâmbio está cheio de experiências fantásticas. Como se não bastasse estar conhecendo um país belíssimo, com uma gente muito amável eu ainda estou fazendo muitas promoções da Aiesec, da minha ONG e do meu trabalho. Depois de ir a rádio e falar para toda a BsAs, hoje saiu uma matéria no site da LBV sobre o trabalho do grupo do qual faço parte. Esse foi o meu depoimento, em espanhol:


Lucas Gómez Pereira cuenta respecto a su trabajo en la LBV: "Esta experiencia para mí está siendo fantástica, porque estamos tratando con personas de otras culturas, y realizarmos una actividad en la que estamos poniendo mucho esfuerzo para aprenderla. Esperamos que todo el trabajo que realizamos sea lo mejor posible, y que lo que hacemos aquí sirva por mucho tiempo y que las personas lo utilicen". 


Basta clicar aqui para ler a matéria.
Essa iniciativa é muito boa e só beneficia a todos.
Já até salvei a página no meu computador e com certeza não vai sair da minha memória.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Sobre meios de transportes

Como eu já vinha dizendo em outros posts os transportes públicos aqui em Buenos Aires são muito baratos. Trem, metrô ou ônibus por menos de 0,50 centavos. Eu uso metrô para ir ao trabalho quase todo dia, quando eu não vou a pé. Usar bicicleta aqui também é bem comum, tem várias ciclovias pela cidade inteira. Eu até agora não vi engarrafamento, mas dizem que ele existe.
Algumas das vezes em que eu peguei trem ou metrô estava lotado, mais ou menos como no Brasil. Os ônibus aqui são identificados por número da linha e eles param no meio da rua, nem encostam no meio fio, sem contar que tem poucos lugares para sentar, acho algo em torno de 15 assentos . Há muitos vendedores e algumas vezes eu já vi até show de mágica ou de música dentro do metrô. Acho que eu já disse isso, mas não custa nada lembrar. O metrô daqui foi o primeiro da América Latina, inaugurou em 1910 e essa primeira linha está com os trens daquela época, com detalhes em madeira e tudo. Vejam algumas fotos.
Ônibus

Um trem lotado

Estação de trem do Retiro

Um dia incrível em minha vida

Hoje foi um dia incrível em minha vida.
Uma das funcionárias da LBV me levou a uma rádio daqui de Buenos Aires para participar de um programa.
Durante uma hora há um espaço para reflexão e se lê alguns textos da bíblia e do Paiva Neto. Um dos temas do programa de hoje foi voluntariado e foi exatamente disso que eu falei. Aproveitei para falar do meu trabalho na Aiesec, nossos valores, como impactamos e mudamos vidas, como a minha vida foi mudada. Falei durante 5 minutos em espanhol, foi um pouco tenso, mas recebi feedbacks muito positivos. Espero que os argentinos tenham se sensibilizado que muitos deles abracem alguma causa essa ano e sejam, também, agentes de mudança.

sábado, 1 de janeiro de 2011

Esse post é para a minha mãe







Todo mundo sabe que Buenos Aires é cheiro de pontos turísticos e todos muito lindos.
Alguns lugares, no entanto, são poucos visitados. A catedral de Buenos Aires é uma delas. Eu tive sorte que eu estava na praça de maio para conhecer alguns monumentos e prédios antigos (já fui 4 vezes lá só parar turistar e conhecer tudo) e a igreja estava aberta porque estava tendo uma missa que já estava no fim. Entrei, vi as imagens, rezei um pouquinho e tirei algumas fotos. Veja só, mãe.

A casa onde eu moro

Oi pessoal.
Esse vídeo mostra um pouco a casa onde eu moro. Dá para ver mais ou menos como é apesar de alguns cômodos estarem escuros e não dá para ver muita coisa.
video
:D